O CBD e o THC ajudam você a perder peso?

Tanto o canabidoil (CBD) quanto o Δ (9) -tetrahidrocanabinol (THC), os dois canabinóides mais proeminentes na planta Cannabis, têm um efeito direto sobre o apetite. O CBD e o THC interagem com o sistema endocanabinoide do nosso corpo, um sistema que regula o metabolismo, o armazenamento e o transporte de nutrientes, bem como a energia da ingestão de alimentos. Tudo isso é regulado por meio dos receptores CB1 em nosso corpo.
O THC se liga a receptores celulares no cérebro que estão relacionados à ativação da grelina (o hormônio da fome), aumentando assim a fome e o apetite. Um estudo de 2015 [2] em ratos obesos induzidos por dieta descobriu que o THC aumentou o apetite dos ratos, mas interrompeu o aumento de peso, mesmo em uma dieta rica em gordura. Isso se deve à redução da ingestão de energia no sistema digestivo.
Paralelamente a isso, descobriu-se que o CBD é um inibidor de apetite. Não impede que você coma, mas pode fazer você se sentir mais saciado mais cedo, reduzindo a quantidade de comida consumida. Um ensaio com ratos britânico sobre este tópico descobriu que ratos que receberam CBD consumiram consideravelmente menos comida durante o período de estudo [3]. A conclusão deste estudo foi que o CBD pode reduzir a ingestão de alimentos, mas são necessárias mais pesquisas sobre seus efeitos anti-obesidade.
Como acontece com qualquer plano de perda de peso, exercícios e dieta são a chave para o sucesso. Tomar óleo de CBD sozinho não funcionaria por conta própria, mas tem sido sugerido que certas cepas de cannabis (algumas com maior teor de CBD) podem ajudar uma pessoa a se concentrar e ser mais ativa. Por outro lado, o THC também torna os alimentos mais palatáveis, portanto, esse canabinoide pode ajudar as pessoas que estão tendo problemas para se ajustar a uma nova dieta.

O CBD pode ajudar as veias varicosas?


O CBD é um extrato da planta de cânhamo da qual a cannabis é feita. Mas, ao contrário do componente tetrahidrocanabinol (THC) da maconha, o CBD não produz o "efeito" associado à cannabis.

Isso ocorre porque o CBD e o THC afetam diferentes receptores dentro do sistema endocanabinoide. Este sistema reage aos canabinóides produzidos pelo nosso corpo, que, por sua vez, regulam a forma como sentimos e experimentamos a dor. Grande parte da pesquisa científica até agora se concentrou em saber se os compostos de CBD encontrados na maconha podem intensificar os efeitos dos canabinóides e, portanto, aliviar a dor crônica e a inflamação.

Até o momento, estudos indicaram que a maconha medicinal reduz a dor crônica em pessoas com condições dolorosas, como artrite. Além disso, o CBD pode ajudar pessoas com síndrome das pernas inquietas (SPI), uma condição que perturba o sono com movimentos descontrolados das pernas. A RLS costuma ser um sintoma associado às veias varicosas. Ao aumentar os níveis de dopamina do corpo, o CBD poderia dar aos pacientes com RLS e com veias varicosas o bom descanso que desejam.

O óleo de cânhamo em outra forma tem sido usado por pacientes com veias varicosas para reduzir o desconforto e o aparecimento de veias varicosas. Feito de sementes de cânhamo, o óleo de cânhamo não contém THC ou CBD, mas contém ácidos graxos ômega-3 que diluem o sangue. À medida que o sangue fica mais fino ao percorrer as veias, o aparecimento de veias varicosas diminui.

Também foi relatado que o óleo de cânhamo pode parar a coceira que as veias varicosas às vezes causam, além de tornar as veias da aranha menos visíveis. Como outros óleos essenciais e loções, o óleo de cânhamo não é uma cura para as veias varicosas. Para isso, você precisa do tratamento de um especialista em veias.

Se você decidir tomar um suplemento de CBD para a dor nas veias varicosas, verifique com seu médico para ter certeza de que a substância não interage negativamente com os medicamentos que ele pode prescrever para outras condições.

CBD e THC para tratar dores crônicas nas costas

Os tratamentos para aliviar a dor crônica nas costas são o maior problema que os médicos enfrentam. Analgésicos e AINEs antiinflamatórios não são boas soluções em longo prazo, pois têm efeitos colaterais. Os pesquisadores descobriram que as combinações de CBD e THC e CBD podem representar uma alternativa aos medicamentos convencionais para dor nas costas, seja ela específica ou crônica. O CBD não tem efeitos colaterais ou tem efeitos colaterais muito leves e não causa dependência.

A pesquisa médica está descobrindo, no entanto, que a combinação de THC e CBD é a mais eficaz contra a dor. O THC tem efeitos poderosos no alívio da dor que não podemos subestimar. No entanto, são os efeitos colaterais psicotrópicos que limitam enormemente sua prescrição.

Estudos realizados sobre a eficácia de medicamentos autorizados à base de cannabis demonstraram que a combinação CBD / THC produziu melhores resultados no alívio da dor. Especificamente, o Sativex, uma droga que fornece 2,7 mg de THC e 2,5 mg de CBD em cada inalação, foi mais eficaz do que os extratos compostos principalmente de THC.

Como o CBD faz você se sentir?

O sistema endocanabinóide de cada pessoa é único e, como tal, a influência do CBD varia ligeiramente de pessoa para pessoa. Mas se você der uma olhada rápida na internet, encontrará centenas de documentos de pesquisas e ainda mais depoimentos sobre a grande influência do CBD.

Você também deve levar em consideração a concentração e a dosagem.

Quanto mais forte for o óleo CBD, ou quanto maior a dose, mais poderosa será sua influência, mas não necessariamente para todas as pessoas.

A maneira mais fácil de descobrir como o CBD faz você se sentir é experimentando você mesmo. Felizmente, esse composto não é tóxico, não é alto e fácil de se adaptar até mesmo ao estilo de vida mais ag

Qual é a diferença entre CBD e THC?

Você provavelmente já ouviu falar do THC muito antes do CBD. O THC (abreviação de tetraidrocanabinol) não é apenas a principal razão pela qual a maconha (outra subespécie da Cannabis sativa) é ilegal em grande parte do mundo, mas também é conhecida por produzir efeitos psicotrópicos (alto).

Felizmente, nem todos os canabinóides são iguais e, embora possa haver diferenças sutis entre suas estruturas químicas, eles são suficientes para modificar significativamente seus efeitos.

As diferenças na estrutura química do CBD significam que ele não interage com o corpo da mesma forma que o THC. Como resultado, esse canabinoide não é tóxico, não é rico e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não tem potencial para abuso.

CBD: o que você precisa saber

O CBD (canabidiol) pertence a uma família de compostos chamados canabinóides. Eles são únicos porque existem fora do corpo e, quando consumidos, podem influenciar uma ampla rede de receptores.