O CBD e o THC ajudam você a perder peso?

Tanto o canabidoil (CBD) quanto o Δ (9) -tetrahidrocanabinol (THC), os dois canabinóides mais proeminentes na planta Cannabis, têm um efeito direto sobre o apetite. O CBD e o THC interagem com o sistema endocanabinoide do nosso corpo, um sistema que regula o metabolismo, o armazenamento e o transporte de nutrientes, bem como a energia da ingestão de alimentos. Tudo isso é regulado por meio dos receptores CB1 em nosso corpo.
O THC se liga a receptores celulares no cérebro que estão relacionados à ativação da grelina (o hormônio da fome), aumentando assim a fome e o apetite. Um estudo de 2015 [2] em ratos obesos induzidos por dieta descobriu que o THC aumentou o apetite dos ratos, mas interrompeu o aumento de peso, mesmo em uma dieta rica em gordura. Isso se deve à redução da ingestão de energia no sistema digestivo.
Paralelamente a isso, descobriu-se que o CBD é um inibidor de apetite. Não impede que você coma, mas pode fazer você se sentir mais saciado mais cedo, reduzindo a quantidade de comida consumida. Um ensaio com ratos britânico sobre este tópico descobriu que ratos que receberam CBD consumiram consideravelmente menos comida durante o período de estudo [3]. A conclusão deste estudo foi que o CBD pode reduzir a ingestão de alimentos, mas são necessárias mais pesquisas sobre seus efeitos anti-obesidade.
Como acontece com qualquer plano de perda de peso, exercícios e dieta são a chave para o sucesso. Tomar óleo de CBD sozinho não funcionaria por conta própria, mas tem sido sugerido que certas cepas de cannabis (algumas com maior teor de CBD) podem ajudar uma pessoa a se concentrar e ser mais ativa. Por outro lado, o THC também torna os alimentos mais palatáveis, portanto, esse canabinoide pode ajudar as pessoas que estão tendo problemas para se ajustar a uma nova dieta.

Qual é a diferença entre CBD e THC?

Você provavelmente já ouviu falar do THC muito antes do CBD. O THC (abreviação de tetraidrocanabinol) não é apenas a principal razão pela qual a maconha (outra subespécie da Cannabis sativa) é ilegal em grande parte do mundo, mas também é conhecida por produzir efeitos psicotrópicos (alto).

Felizmente, nem todos os canabinóides são iguais e, embora possa haver diferenças sutis entre suas estruturas químicas, eles são suficientes para modificar significativamente seus efeitos.

As diferenças na estrutura química do CBD significam que ele não interage com o corpo da mesma forma que o THC. Como resultado, esse canabinoide não é tóxico, não é rico e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não tem potencial para abuso.